sábado, 12 de março de 2011

Sonhando com o mesmo amor

Porque ainda mais se cansam
Os teus cansados olhos de chorar?
Porque o meu coração tanto ama
A quem já não posso amar.
Como te assola tão vil demónio,
Essa dor que fere e punge a alma?
S'amarrou meu amor
Com laços de matrimónio.
Só a morte me trará calma.
Porque não segues adiante,
Procuras um amor diferente
E deixas a dor no passado?
Porque o sofrimento é constante
De quem está sempre presente
Mesmo quando ausentado.
Porque ao teu frio leito
Não o aquece um outro alguém?
Porque lugar no meu peito
Não sobra para mais ninguém.

Tomei o café e saí
Pois a hora girava a mó.
Desde então, não mais a vi.

Levava-lhe a idade o verdor
Para acabar só,
Sonhando com o mesmo amor.

1 comentário:

maria belem disse...

Adorei, Sérgio, bonito poema.
Abraço