quarta-feira, 2 de março de 2011

Razão do meu desejo

Num dia quente de sol e fragrância amena
S'encantou meu coração num mero olhar.
Corada de arrebol e distinta pele morena,
Fina flor de açucena do meu sonhar.

No meu peito, amigo, se inflamou,
Do seu sorriso d'alma airosa e ladina,
Dos seus jeitos e trejeitos de menina,
O amor perdido que, então, se encontrou.

E ora, olhando o céu, rente à noitinha,
Espreitam estrelas cuja paz almejo,
M'apoquenta a guerra, inquietação minha,

Como o mar quando se agita ao vento frio.
Sou folha seca atirada ao desvario.
Sabes... Ela é o mundo e a razão do meu desejo.

1 comentário:

maria belem disse...

Bonito poema, Sérgio.
Abraço
Júlia