domingo, 22 de maio de 2011

Se sou sábio sei

Prega o mocho eloquente
Na praça, para toda a gente:

Se sou sábio, sei.
Se não sei, sábio não sou.
- Ignorante, talvez! - Direi
Se ignoro como vou.
Se sou sábio, a sabedoria
É fonte de inspiração.
Se o não sou, a maravilha
Nasceu-me no coração.

Se a verdade me abraça o peito
E sigo o caminho sem o ver,
Talvez torto siga direito,
Talvez saiba sem o saber
E sábio ser.
Não saberei se sei mas sinto
- Digo - e não minto -
Que sou feliz.

O burro, atónito, pergunta ao boi:
- Percebes o que ele diz?
Responde o boi: - já a cabeça me doi!

2 comentários:

maria belem disse...

Sérgio, estive a ler todos os teus últimos escritos e adorei. A tua perspicácia e inteligência deixa sempre um sabor admirável nos meus neurónios.
Um grande abraço, meu amigo

DarkViolet disse...

Quanto mais dói a cabeça, mais o corpo se sente esvoaçado para interiorizar.