quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Bordado de mar

Fito perdido um bordado
Azul do mar mesmo à beira
E um maravilhoso rendado
Rendilhado de fina areia
No teu decote perfeito
Onde me prende o olhar.
Fito perdido o teu peito,
Reflexo de um lago ao luar.
O teu seio, doce contorno,
Silhueta bordada tão bela
Com fio de prata no mais fino ouro,
Bordado de luz duma estrela.
Ao crepúsculo, enquanto o sol se esconde
Iluminando, rubro, o teu semblante
Leva-me bordejante não sei bem onde
Algures num sonho, num outro instante,
Num prado sereno, no alto monte,
Num rio que viaja errante
De água límpida do teu ser.
Musa da minha vida, o meu viver,
Delicadeza de terna paixão
Canto distante do entardecer
Vieste meu inocente amor colher
Prendido na tua mão.
Olho perdido o azul dos teus olhos
E as rosas no teu corpo aos molhos
Na saia vermelha escarlate.
Trazes um laço de seda,
E na tua blusa aos folhos,
Um sabor a chocolate.
Ó júbilo! Ó alegria,
Soberba luz que me alumia!

2 comentários:

Um Olhar disse...

Escrever sobre alguém que se ama é um soltar livre!
Simplesmente... lindo as tuas palavras.

Sérgio O. Marques disse...

Sim "Um novo olhar" é uma escrita solta. Ainda não tive a sorte (ou azar) do grande amor. Contudo fica bem escrever sobre isso.
Obrigado pela presença :)