terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Carta ao meu amor II

Tanto é o amor que aqui deixo
Nestas linhas que te escrevo,
Cada palavra é um beijo,
Cada frase é um desejo,
Meu coração que te entrego.

Ah! Amor que o amor me faz feliz,
Cujo júbilo de mil cantos
São, de querubim, doces cantos
E sorrisos de um petiz
Entregue a tantos encantos.

É.me ardente a paixão que por ti arde
Como a fúria de um trovão no firmamento
Rasgando em raios de luz cada momento
Contigo e me leva ao paraíso, alarde.
És força e fogo do meu alento.

Amo-te na tinta e traço deste aparo
Muito além da saudade que me vela
Sita nas letras que caem sem reparo
Nesta carta, tão londe do teu amparo,
Do brilho do mais bela estrela.

Ah! Poder tocar-te e te ouvir cantar,
Seres-me a mão que me acaricía a tez
Com miríades de ternuras a embalar
E, no teu regaço a dormitar,
Beba, de um trago o mar... talvez!

2 comentários:

Um Olhar disse...

Lindo... O mais forte dos sentimentos escrito de uma maneira delicada, leve, consciente e linda.

Bjo
Fatima

Juliana Palavra disse...

Hummm...

Quem é esse amor?! Muita paixão contida nesse lindos versos!